julho 06, 2009

UMA HISTÓRIA DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA

Escrito por Walter Fraga e Wlamyra R. de Albuquerque, breve lançamento pela Editora Moderna, o livro destaca o ríquissimo legado da cultura africana no Brasil. Parte do coração da África, mãe de todos os povos, navega pelos rios rumo ao deserto, percorre o Saara trazendo muitas informações e riquezas para enfim chegar à costa, de onde partiram tantos africanos pelo tráfico levados ao Brasil.

De cunho informativo, a obra não poderia prescindir de iconografia. Pude, porém, contornar esse objetivo mais documental e recriar poeticamente, pelo viés dos africanos e de seus descendentes, vários aspectos que compõem a nossa formação cultural. O livro não apenas discorre sobre as contribuições artística, religiosa, culinária, linguística, literária, jornalística, medicinal, filosófica, esportiva e musical. Ressalta também o quanto a resistência negra ajudou a fortalecer a idéia de liberdade no Brasil. E me ofereceu uma outra oportunidade de retratar Zumbi dos Palmares: um símbolo de liderança, identidade, nexo e resistência (imagem logo abaixo).

A cultura de um povo compreende seu conjunto de manifestações coletivas, mas vai além disso. Diz respeito à maneira como padrões de comportamento são assimilados e determinam o modo de ser e agir em sociedade, de se vestir, falar, de educar os filhos e lidar com o desconhecido, com a morte e com a busca de soluções e sentidos na vida. Publicações como esta são fundamentais para ampliar a reflexão e plena percepção da cultura e identidade brasileiras.

Também ilustrei mais um tumbeiro, abarrotado de malungos (companheiros de viagem), reduzidos a meras silhuetas esquemáticas, com frieza numérica. A ilustração abaixo mostra uma animada roda de samba, uma homenagem à sensibilidade e à pintura do mestre Heitor dos Prazeres.

9 comentários:

joão pinheiro disse...

Parabéns Negro, pelas belas ilustrações e pela participação em um livro tão interessante e bonito. Fiquei com vontade de ler!Também sou um grande admirador dos sambistas pintores como o Heitor dos Prazeres, que você citou,
e ao qual fez jus com essa última imagem.

Vida longa.

vitor vanes disse...

Sem comentários! Você éw mais Afro-brasileiro do que eu!!
Saúde sempre irmão!!

Eu não sei, você sabe? disse...

adorei essas também!

beijos pra rezinha!

Mauricio Negro disse...

Valeu, Tita! Pode deixar, os beijos já estão a caminho. Outros para turma toda!

Maria de Lourdes disse...

Ola, bom dia a todos. Preciso saber como posso adquirir este livro. Já esta em livrarias ou ainda nao foi lançado? obrigada.

Mauricio Negro disse...

Maria de Lourdes, o livro em questão deve estar disponível para venda nas mais tradicionais livrarias do Brasil. Caso não o encontre, entre em contato com a editora Moderna. Mas creio que você não terá dificuldades para encontrá-lo. Grato pelo interesse e um abraço!

Neiih disse...

Olá, Qual nome da obra a cima, onde se tem uma mao e um pandeiro.?

Mauricio Negro disse...

Caro Neiih,

A imagem foi feita para abrir um certo capítulo do livro. Se fosse batizá-la, acho que podia ser AO HEITOR, COM TODO O PRAZER.

LUCIANO disse...

O livro muito bom só falta a bibliografia no final. Mas não tira o mérito grandioso dos autores. Parabéns